BUTOH

R$50,00R$150,00

Com Ana Medeiros (RS) e Hiroshi Nishiyama (Japão)
Quartas, das 17h30 às 19h

Agende uma aula experimental!

Aulas realizadas pelo app Zoom Cloud Meeting


São trabalhados nas aulas os princípios do Butoh de Yoshito Ohno, bailarino e filho de Kazuo Ohno. Para Ohno, Butoh é dançar a existência e estar em contato direto com o mundo a nossa volta: as violências, as tragédias. Dançar Butoh é também encontrar a humanidade naquele que dança, “se revelando como uma flor, como a natureza e seus ciclos”. No Butoh de Yoshito Ohno se encontra o silêncio e se percebe o corpo criando e trazendo lugares e memórias à tona — se faz muito menos externamente. Os pés encontrando o chão marcam o tempo e trilham histórias milenares, no contato de cada partícula de pele com cada milímetro de solo.

Limpar
REF: Não aplicável Categoria:

Descrição

Com Ana Medeiros (RS) e Hiroshi Nishiyama (Japão)

Quartas, das 17h30 às 19h

Agende uma aula experimental!

Aulas realizadas pelo app Zoom Cloud Meeting

São trabalhados nas aulas os princípios do Butoh de Yoshito Ohno, bailarino e filho de Kazuo Ohno. Para Ohno, Butoh é dançar a existência e estar em contato direto com o mundo a nossa volta: as violências, as tragédias. Dançar Butoh é também encontrar a humanidade naquele que dança, “se revelando como uma flor, como a natureza e seus ciclos”. No Butoh de Yoshito Ohno se encontra o silêncio e se percebe o corpo criando e trazendo lugares e memórias à tona — se faz muito menos externamente. Os pés encontrando o chão marcam o tempo e trilham histórias milenares, no contato de cada partícula de pele com cada milímetro de solo.

A bailarina e coreógrafa gaúcha Ana Medeiros movimentou o cenário cultural de Porto Alegre ao trazer para a capital gaúcha toda a sua experiência com o butoh, dança vanguardista japonesa criada na década de 1950 por Kazuo Ohno e Tatsumi Hijikata. Pioneira no ensino da modalidade, Ana ocupou espaços públicos com intervenções artísticas, promoveu workshops e apresentações em célebres pontos culturais como o Instituto Ling e vem promovendo aulas regulares na Casa Cultural Tony Petzhold. Retornando de sua quarta imersão no Japão com o mestre Yoshito Ohno, a bailarina agora abre espaço em sua agenda para ministrar aulas de butoh.

 

Para Ana Medeiros, dançar Butoh é dançar a interioridade da alma. “Nessa dança, não existe o virtuosismo físico de grandes passos, nem a velocidade estonteante de um corpo a se mover no espaço. Ao contrário: no Butoh, o virtuosismo dele se dá na metamorfose destes estados e nas transições internas que o dançarino experimenta transpondo seu corpo”, define a bailarina, que, ao longo de sua trajetória, também morou 23 anos em Nova York se especializando em dança moderna na Martha Graham School of Contemporary Dance e já apresentou suas coreografias em países como França, Holanda e Japão. Nas aulas, ela apresenta toda a sua vivência com o butoh e a cultura japonesa.

Sobre Hiroshi Nishiyama:

É natural de Osaka. Em 1990, a pedido de Kazuo Ohno, se muda para Yokohama onde vem  a estudar Butoh com Kazuo e Yoshito Ohno. Por 25 anos é aluno de Kazuo Ohno, e hoje continua a frequentar o Kazuo Ohno Dance Studio e participar das aulas de Yoshito Ohno. Atualmente atua em  vários projetos de Butoh em Tokyo e Yokohama. Em 2015 dança com Yoshito Ohno no SHINANO Primitive Sense Art Festival em Nagano.

Em 2016 é convidado para vir a Porto Alegre e dançar no espetáculo Caminhos Pelos Quais, de Ana Medeiros, que teve estreia no Instituto Líng. No início de 2017 retorna à cidade para se apresentar e ministrar workshops durante a Semana Butoh na Casa Cultural Tony Petzhold juntamente com Ana. Durante 2018 viaja pelo Brasil com Ana Medeiros ministrando intensivos de Butoh, e trabalhando na criação do novo espetáculo A Música Não Tocada.

Informação adicional

Modalidades

Mensalidade 1 x por semana, Aula avulsa